Tratamento Criogénico de Rotores de Travão

ih1013-deep04-fig4-615

O tratamento criogénico de travões de disco constitui mais um exemplo da aplicação da criogenia ao quotidiano, neste caso à segurança automóvel e à preservação de um componente essencial dos veículos como é o conjunto de travões. Através da exposição dos discos de travão a um procedimento criogénico (de temperaturas extremamente baixas, bastante abaixo dos 100ºC negativos), o disco torna-se mais resistente e mais durável, prolongando a sua longevidade. Trata-se de uma inovação que foi originalmente testada no automobilismo de competição, uma vez que pilotos e equipas necessitam do material mais competitivo possível, e que, como muitas outras, foram gradualmente trazidas para os automóveis de série.

O procedimento criogénico para travões de disco é especialmente procurado por empresas e organizações com grandes frotas circulantes, e/ou que dependem da circulação dos seus automóveis para o seu funcionamento. As empresas de distribuição e de transporte não podem arriscar-se a ter os seus veículos parados durante muito tempo para reparações, e organismos como a polícia e os bombeiros dependem da sua presença na estrada para atuarem com eficácia. Em todos estes casos, a aplicação desta solução revela-se mais económica no longo prazo do que a substituição constante de discos de travão, tanto mais que a quilometragem destes veículos é muito superior à de veículos familiares, bem como o desgaste das suas peças.

Esta técnica de preservação do material circulante encontra-se difundida nos Estados Unidos, onde a empresa 300Below vem aplicando este tipo de soluções há várias décadas, e também no Brasil. O próprio nome da empresa, “300Below” (que se poderia traduzir por “abaixo de 300”), refere-se ao facto de a empresa trabalhar com soluções criogénicas, abaixo dos 300 graus negativos na escala de Fahrenheit, o que correspondem a cerca de -148 graus centígrados. Contudo, em Portugal ainda não é possível apostar neste tipo de serviço.